quarta-feira, 28 de março de 2012

Tempo Fechado – Ken Follett


  Olá amigos leitores, primeiramente, gostaria de pedir milhares de desculpas por todo o tempo que passei sem postar nada de novo. Quem tem um blog deve saber que atualizações são obrigatórias, pois meu blog não tem muitos leitores, mas os leitores que tenho são muito fieis e sempre visitam o blog procurando algo de novo ou relendo os textos antigos.
   Recentemente passei por uns momentos difíceis e isso me afastou um pouco aqui do blog. Computador queimado, internet off e carro batido foram alguns dos motivos, mas não tem desculpa não. Peço que me perdoem todos os meus leitores cativos, sejam eles do Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Rússia, etc. Só para citar os países com maior número de visitas. Espero ainda contar com a presença de vocês aqui no blog, afinal, ele só existe por causa de vocês.
   Mas vamos ao livro rs. Como as coisas andavam nubladas pro meu lado, a escolha do título não poderia ser mais acertada.
   Tempo fechado, é um livro do autor britânico Ken Follett. Como a maioria dos livros de Ken, a trama puxa mais para o lado da ação do que do suspense. Se bem que no decorrer do livro o leitor é pego de surpresa várias vezes.
   O livro conta a história do Laboratório farmacêutico Oxenford Medical e suas instalações na Escócia que são tão impenetráveis que o laboratório foi apelidado de Kremlin. A protagonista da trama é Toni Gallo, chefe de segurança do laboratório e é quem tem a missão de proteger o principal patrimônio do laboratório que neste caso trata-se de um novo vírus, extremamente letal e que no mercado negro valeria milhares de dólares.
   Isso por si só daria uma boa salada, mas Ken Follett não é alguém a quem se possa chamar de preguiçoso.    Para apimentar as coisas ele põe em cena a família Oxenford, que são proprietários do laboratório e possuem personalidades divergentes. Não quero falar muito sobre isso, pois cada um dos três filhos do magnata dono do laboratório tem uma cota importante na evolução da trama e vocês devem descobrir sozinhos. 
   Sabe o vírus que eu falei ? Segue uma breve descrição de como ele atua nas palavras do próprio autor: 
"Sangrava por todos os orifícios do corpo: olhos, narinas, boca, ouvidos, no meio de uma poça de sangue que encharcava o chão de tábuas." Este era o resultado de quem entrava em contato com o Madoba 2, o perigoso vírus mantido na empresa farmacêutica Oxenford Medical, que fazia pesquisas com vírus letais. "Segurança ali era questão de vida ou morte."
   É a segurança disso que Toni Gallo deve manter, mas o problema é que um grupo de extremistas resolveu aproveitar as festas de final de ano para criar uma brecha na segurança e se apoderar do vírus, isso já seria um pesadelo para Toni, mas o pior é que os bandidos terão ajuda de dentro do laboratório, de onde menos se espera.
   O texto tem uma trama repleta de reviravoltas e personagens marcantes, e o mais fantástico de tudo é que todas as histórias confluem e colocam todos os personagens no mesmo lugar, debaixo da maior nevasca que ajuda a justificar a escolha do nome do livro.
   O livro vale muito a pena e vocês irão "amar" odiar os bandidos, principalmente Dayse, uma brutamontes mais sádica e violenta do que os outros dois juntos. A sequência final do livro é tão tensa que não dá para parar de ler, e a narrativa é tão rica em detalhes que os leitores sentirão o mesmo frio que assola os personagens. 
   Espero que vocês tenham gostado do nosso retorno e aguardem novos posts, agora todas as quartas e sábados religiosamente.
    Até lá

4 comentários:

  1. Respostas
    1. É verdade Thiago mas agora as coisas voltam ao normal.

      Excluir
  2. Olá Francisco,
    Que bom que voltou!
    Estava com saudades das suas resenhas de livros mais adultos!
    Ainda não li nada desse autor, mas a trama me pareceu bem intensa! Vou pensar nele com carinho!
    Beijos
    Camila - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Mila.
      Feliz aniversário pra você.
      Acho que se você ler esse livro vai atender bem as expectativas.
      Beijos.

      Excluir